O PODER DA DECISÃO A Decisão Certa! – Uma mensagem com o Pr. Wagner König – Tome a Decisão Certa! Faça a Vontade de Deus e não apenas a do seu Coração!!!

Publicado em Colunistas, Pr. Wagner König, Vídeos | Marcado com , , , , , , , , , | Deixe um comentário

Lançamento do 2º Livro do Pr. Wagner König – “Quebrando os Grilhões da Alma”

Em breve (Fevereiro/2014)

Lançamento do 2º Livro do Pr. Wagner König – “Quebrando os Grilhões da Alma”

Capa (Oficial)

Sinopse do Livro:

O que tem te aprisionado?

Em nossas vidas, por diversas vezes, nos deparamos com inúmeros “gigantes”, tais como: o desânimo, o medo, o orgulho e a mágoa, sentimentos que tentam minar as nossas forças e nos destruir completamente. Contudo, se estivermos firmes com “Jesus Cristo”, isto não ocorrerá!

O propósito deste livro é fornecer a você, por meio da Palavra de Deus e do poder do Espírito Santo, as “armas” necessárias para enfrentar e quebrar estes “grilhões”, dando o “antídoto”, para que assim você fique livre destas prisões.

Receba a libertação e a vida abundante em sua alma!

O Senhor Jesus deseja te curar!

Publicado em Artigos, Colunistas, Notícias, Pr. Wagner König, Pra. Gleice König | Marcado com , , , , , , , , , | Deixe um comentário

O Poder Destruidor da Mágoa!!! Uma mensagem com o Pr. Wagner König (Líder do Ministério de Adoração Yada)

http://youtu.be/KAVs8wcoDmM

Publicado em Vídeos | Marcado com , , , , | Deixe um comentário

O Senhor é o nosso refúgio! Uma mensagem com o Pr. Wagner König (Líder do Ministério de Adoração Yada)

Deus quer te colocar de Pé!!!

Publicado em Vídeos | Marcado com , , , , , | Deixe um comentário

Jerusalém ! – Uma mensagem com o colunista da Editora Ágape, Pr. Wagner König – Precisamos verdadeiramente crer em um Jesus que ressuscitou e não nos afastarmos da Jerusalém espiritual que nos está proposta!!!

Antes da morte de Jesus Cristo, foi relatado que houve escuridão por toda a terra:

“Desde a hora sexta até a hora nona, houve trevas sobre toda a terra.

Por volta da hora nona, clamou Jesus em alta voz, dizendo: Eli, Eli, Iamá sabactâni? O que quer dizer: Deus meu, Deus meu, porque me desamparaste?” Mateus 27:45-46

Estas trevas aqui relatadas, na verdade, alcançaram a vida, até mesmo, daqueles que seguiram a Jesus Cristo, ou seja, os seus próprios discípulos. Após a Sua morte, estes se esqueceram de tudo aquilo que Ele havia lhes falado, e de tudo que havia sido revelado, através das escrituras, acerca do que haveria de acontecer… A escuridão da incredulidade e do medo tomaram conta deles, fazendo-os fugir e temer os seus próprios destinos…

Vemos isto acontecer em Lucas 24:13-35, quando dois de Seus discípulos, um deles de nome Cleopas, tio de Jesus, ao se sentirem desamparados, após terem presenciado a morte de Seu mestre, tomam a direção de uma aldeia de nome Emaús, distante de Jerusalém cerca de setenta estádios, aproximadamente doze quilômetros. Este texto narra uma das aparições de Jesus Cristo antes de Sua ascensão, fato ocorrido no mesmo dia da ressurreição, no domingo, no terceiro dia que sucede a crucificação.

“Naquele mesmo dia, dois deles estavam de caminho para uma aldeia chamada Emaús, distante de Jerusalém setenta estádios…” Lucas 24:13

Quando estes discípulos se afastaram da cidade de “Jerusalém”, que significa “cidade da paz”, isto simbolizou aquilo que na verdade havia se afastado de seus corações: “A Paz de Cristo”.

Este sentimento, que antes habitava em seus íntimos, já não existia mais, pois estavam com seus corações totalmente embriagados por outro sentimentos que os impediriam de reconhecer o seu próprio mestre.

Todavia, o que eles não esperam, estava por acontecer…

Enquanto caminhavam discutindo a respeito das coisas sucedidas, o próprio Jesus se aproximou e mesmo conversando com eles, não foi reconhecido… Ficaram impedidos de reconhecerem, o agora Cristo ressurreto, pelas lágrimas do desespero, pela ignorância das escrituras, pelo temor à escuridão, pela dúvida, pela cegueira e, sobretudo, pela distância que se encontravam em seus corações do próprio mestre.

Semelhantemente, quando nos encontramos desta forma, ficamos impedidos de enxergar que o nosso Cristo ressuscitou e que vive para sempre. Diante das circunstâncias que nos cercam, permitimos que o desespero, a incredulidade e as trevas nos ceguem, nos lançando a uma enorme distância Daquele que está sempre ao nosso lado, caminhando conosco e falando as Suas tão doces palavras. Nos tornamos, portanto, insensíveis a Sua voz, pois estamos, também, incapacitados de reconhecê-la.

Durante toda a caminhada, Jesus Cristo falou-lhes acerca das escrituras, mas, mesmo assim, os Seus discípulos não o reconheceram…

Quantas vezes ouvimos as verdades que estão contidas na Palavra do nosso Deus e não damos o devido crédito???

Quantas vezes por causa dos nossos medos e incertezas, ou seja , por causa da nossa incredulidade, não percebemos a presença de nosso Deus, ao nosso lado, falando conosco???

Após entrarem na aldeia de Emaús, Seus discípulos lhe pediram que Jesus ficasse com eles, pois já era tarde e o dia declinava. A percepção de Quem estava com eles durante toda aquela caminhada, estaria prestes acontecer, fato este que somente foi possível, quando participaram de um momento de intimidade com Ele…

“E aconteceu que, quando estavam a mesa, tomando Ele o pão, abençoou e tendo-o partido, lhes deu; então se lhes abriram os olhos, e o reconheceram; mas ele desapareceu da presença deles.

E disseram um ao outro: Porventura não nos ardia o coração, quando Ele, pelo caminho, nos falava, quando nos expunha as Escrituras?

E na mesma hora, levantando-se, voltaram para Jerusalém, onde acharam reunidos os onze e outros com eles. Os quais diziam: O Senhor ressuscitou e já apareceu a Simão! Então, os dois contaram o que lhes acontecera no caminho e como fora por eles reconhecido no partir do pão.” (Lucas 24:30-35).

Desta forma, sempre que nós fizermos isto, ou seja, tivermos um momento de intimidade com Ele, teremos a nossa visão totalmente restabelecida e veremos não somente, Aquele, que venceu os grilhões da morte, ressuscitou e ascendeu aos céus, e que está sempre ao nosso lado se nós o desejarmos, mas, também, todo o Seu reino que está ao nosso dispôr.

É somente na intimidade com o nosso Deus que ouvimos plenamente a Sua voz!!! Em qualquer outro lugar estamos sujeitos a ouvirmos qualquer outra voz, capazes não apenas de nos embriagar, mas, também, de nos afastar na Jerusalém espiritual proposta pelo Senhor.

Precisamos, portanto, verdadeiramente crer em um Jesus que ressuscitou, e jamais nos afastarmos de SUA INTIMIDADE! 

Deus te abençoe!

 

Publicado em Artigos, Colunistas, Pr. Wagner König | Marcado com , , , , | Deixe um comentário

O Poder da Confissão

Uma mensagem com o colunista da Editora Ágape, Pr. Wagner König

O Poder da Confissão

Por Pr.Wagner König

“Enquanto calei os meus pecados, envelheceram os meus ossos pelos meus constantes gemidos todo o dia.

Porque a tua mão pesava dia e noite sobre mim, e o meu vigor se tornou em sequidão de estio.

Confessei-te o meu pecado e a minha iniquidade não mais ocultei. Disse: confessarei ao Senhor as minhas transgressões; e Tú perdoaste a iniquidade do meu pecado.” (Salmos 32:3-5) 

“O que encobre as suas transgressões jamais prosperará; mas o que as confessa e deixa alcançará misericórdia.” (Provérbios 28:13) 

“Confessai, pois, os vossos pecados uns aos outros e orai uns pelos outros, para serdes curados. Muito pode, por sua eficácia, a súplica do justo.” (Tiago 5:16) 

A palavra do Senhor nos mostra que somente Ele tem poder para verdadeiramente nos libertar de quaisquer cadeias, contudo, isto só acontece se seguirmos fielmente todas as Suas orientações. Para isso, Ele nos mostra claramente tudo o que devemos fazer para não nos tornarmos escravos de nossos próprios sentimentos, e recebermos com plenitude a cura e restauração da nossa alma.

“Se, pois, o Filho vos libertar, verdadeiramente sereis livres.” (João 8:36)

O Senhor nos orienta, primeiramente, a confessarmos os nossos pecados a Ele, a fim de que recebamos o Seu perdão.  Esta confissão acompanhada de nosso sentimento de arrependimento habilita o Seu poder restaurador em nossas vidas.

A nossa confissão é, portanto, o primeiro passo para recebermos toda e qualquer tipo de libertação em nossa alma.

Quando confessamos os nossos pecados ao Senhor, desabilitamos o inferno a permanecer agindo em nossos sentimentos, denunciando as suas obras, mas, enquanto encobrimos as nossas transgressões, perecemos em nosso próprio interior, pois continuamos escravos de nossos próprios desejos ou vontades pecaminosas.

A verdade é que enquanto nos calamos diante de Deus, ficamos impedidos de receber a Sua Cura.

“Enquanto calei os meus pecados, envelheceram os meus ossos pelos meus constantes gemidos todo o dia.

Porque a tua mão pesava dia e noite sobre mim, e o meu vigor se tornou em sequidão de estio.

Confessei-te o meu pecado e a minha iniquidade não mais ocultei. Disse: confessarei ao Senhor as minhas transgressões; e Tú perdoaste a iniquidade do meu pecado.” (Salmos 32:3-5)

No momento em que reconhecemos as nossas fraquezas e as confessamos, damos o primeiro passo para quebrarmos os grilhões que impedem a nossa alma de prosperar, mas, precisamos compreender que não basta reconhecermos e confessarmos os nossos pecados, é necessário que, também, tomemos a atitude de abandoná-los, a fim de que não neutralizemos o poder de nossa própria confissão através de nossas atitudes, e, com isso, alcancemos a misericórdia do Senhor.

“O que encobre as suas transgressões jamais prosperará; mas o que as confessa e deixa alcançará misericórdia.” (Provérbios 28:13)

“A renúncia é o sentimento que deverá acompanhar a nossa confissão.”

 Infelizmente, muitas vezes não encontramos forças para renunciarmos sozinhos as nossas fraquezas ou pecados, e é por isso, que em Tiago 5:16 o Senhor nos instrui a buscarmos auxílio espiritual em nossos irmãos.

Confessando os nossos pecados uns aos outros, e orando uns pelos outros, encontramos cura, todavia, muitas vezes, temos ignorado e até mesmo rejeitado esta instrução.

O medo de sermos julgados por outras pessoas e de termos a nossa vida exposta nos impede de buscarmos a ajuda espiritual que muitas vezes precisamos. Não devemos ter este receio, contudo, devemos procurar as pessoas certas para fazermos isto, ou seja, pessoas que sejam, antes de tudo, idôneas, e que demonstrem, de fato, interesse pelas nossas vidas.

Quando decidimos confessar os nossos pecados a alguém, expressando o nosso arrependimento a Deus, nos abrimos para Ele nos curar, pois o fato de buscarmos a ajuda de outras pessoas demonstra um sentimento que jamais será desprezado pelo Senhor, o sentimento de humildade. Este sentimento nos eleva à condição de recebermos o Seu favor, tornando-nos acessíveis à Sua Presença.

“… Deus resiste aos soberbos, mas dá graça aos humildes.” (Tiago 4:6b)

“A humildade sempre nos aproximará de Deus!”

A humildade em buscarmos ajuda concede ao Espírito do Senhor liberdade para que Ele possa operar em nós, restando-nos apenas cumprir com diligência a orientação de, também, orarmos uns pelos outros.

Sendo assim, ao ouvirmos a confissão de alguém precisamos, imediatamente, interceder por ela, a fim de que o Senhor lhe conceda a cura. Na verdade, se compreendêssemos com plenitude o poder que possui a nossa oração, com certeza, oraríamos muito mais uns pelos outros.

“Confessai, pois, os vossos pecados uns aos outros e orai uns pelos outros, para serdes curados. Muito pode, por sua eficácia, a súplica do justo.” (Tiago 5:16)

Sem dúvida alguma, a nossa oração tem poder para libertar, transformar e curar muitas pessoas.

Nós encontramos na bíblia um exemplo notório de eficácia na oração de um justo. Este justo era Elias, um homem semelhante a nós, e que estava sujeito às mesmas paixões que nós, entretanto, Deus o ouvia e o atendia todas às vezes que orava, pois mesmo não sendo perfeito, a obediência e a santidade faziam parte de seu caráter e, por isso, as suas orações foram capazes de interferir, até mesmo, no curso da história de toda a sua nação.

“Elias era homem semelhante a nós sujeito aos mesmos sentimentos, e orou, com instância, para que não chovesse sobre a terra, e, por três anos e seis meses não choveu.

E orou, de novo, e o céu deu chuva, e a terra fez germinar seus frutos.” (Tiago 5:17-18)

Neste momento, gostaria de lembrar chamando, atenciosamente, a sua atenção ao fato de que quando falamos de cura na bíblia, nos referimos não apenas a do nosso corpo físico, mas também a da nossa alma e do nosso espírito. Sendo assim, devemos ampliar a nossa visão e enxergar que o verdadeiro desejo do Senhor é nos curar por completo.

A confissão de nossos pecados e da nossa fé em Jesus Cristo, aliada a sentimentos tais como: a humildade, o arrependimento e a renúncia, trazem consigo a recriação do nosso espírito, a regeneração da nossa alma e a libertação de muitas doenças físicas. Quando fazemos isto, expressamos o que sentimos ou pensamos, e, também, tudo aquilo que devemos renunciar para recebermos o favor de Deus.

Portanto, lembre-se, através de nossa confissão recebemos a salvação, e por meio dela somos curados.

“Há poder em sua confissão!”

Publicado em Artigos, Colunistas, Pr. Wagner König | Marcado com , , , , | 1 Comentário

O Senhor é o nosso Ourives!!! – Uma mensagem com o Pr. Wagner König

O Senhor é o nosso Ourives

Uma mensagem com o colunista da Editora Ágape, Pr. Wagner König

W&G S2

O Senhor é o nosso Ourives

Por Pr. Wagner Konig

“Assentar-se-á como derretedor e purificador de prata; purificará os filhos de Levi e os refinará como ouro e como prata; eles trarão ao Senhor justas ofertas.” (Malaquias 3:3)

No passado, por diversas vezes o povo de Deus foi encontrado em uma condição de comportamento, onde no momento de ofertarem, ao invés de agradarem ao Senhor, atraiam o Seu próprio repúdio. Sua ofertas eram recebidas como vãs, ou seja, sem valor, e o motivo de serem desprezadas, estava nas más obras que praticavam. Naquele tempo, infelizmente, o povo já não mais obedecia aos Seus mandamentos, desprezando aquilo que verdadeiramente é considerado por Deus, como sendo a nossa oferta mais valiosa: As nossas próprias vidas, em conformidade à Sua vontade.

“Deus hoje, também, deseja receber as nossas ofertas; mas, da mesma forma, poderão ser consideradas vãs por Ele, se nós ofertantes desprezarmos o que de fato é o mais valioso… A nossa Obediência!”

Por diversas vezes, também, o povo se apresentou diante de Deus com ofertas impuras, entregando para Ele animais mancos e coxos. Retinham para si as melhores ofertas, e entregavam aquilo que eram considerado por eles mesmos, como impuro.

“Quando não entregamos para Deus o nosso melhor, entregamos para Ele ofertas impuras, e com isso, incorremos no risco de juntamente com as nossas ofertas, sermos desprezados pelo Senhor!”        

Isto tudo aconteceu no tempo do profeta Malaquias, mas infelizmente acontece até hoje. Muitos estão vivendo sem o temor de Deus, e ainda, através de suas vãs ofertas, barganhando os Seus favores… Outros, continuam ofertando sem a preocupação de darem o seu melhor, demonstrando desprezo a mesa do Senhor, e, também, a toda comida que nela é oferecida para nós!

Diante de tais fatos, o profeta Malaquias foi levantado por Deus para trazer esta mensagem profética que se cumpriu em seu tempo e que até hoje continua se cumprindo…

“O Senhor está assentado diante de nós, como um ourives se assenta diante da prata em seu processo de purificação…”

“A prata para ser purificada é colocada em uma alta temperatura, e por meio deste método, são separadas todas as suas impurezas. Este processo termina quando a prata alcança um grau de pureza tal, que a torna possível refletir a imagem do próprio ourives. Entretanto, para que isto aconteça, é necessário que o ourives fique atento a todo o processo, com o fim de que a prata seja retirada no momento exato, e com isso não perca o seu valor.”

Da mesma forma, portanto, está o nosso Senhor assentado diante de nós, derramando o Seu fogo purificador, a fim de que sejam retiradas de nossas vidas todas as impurezas.

“O trigo e o joio precisam ser separados dentro de nós!”

Este fogo purificador do Senhor se revela de várias formas em nossas vidas, principalmente, por meio das provações. Através das dificuldades e lutas que Ele permite que venhamos a passar, somos corrigidos e aperfeiçoados, obtendo algo que é da mais extrema importância para as nossas vidas: “O conhecimento de quem verdadeiramente somos”. Sendo assim, por meio das provações, recebemos do Senhor a capacitação para vencermos muitos obstáculos, que muitas vezes não enxergamos, mas se encontram escondidos dentro de nós.

Toda provação tem o seu tempo determinado, uma vez que o fruto desta é alcançado pelo Senhor. Como o ourives, o Senhor está sempre atento, e sabe exatamente o momento de retirar, diminuir ou aumentar o Seu fogo sobre nós. Durante toda a história, Deus sempre foi exato em Seu tempo, ao provar o Seu povo! Lembre-se, a tribulação não é eterna, pois há um tempo determinado para tudo! (7 anos de fome no Egito, 400 anos de escravidão, 70 anos de cativeiro babilônico…).

“Tudo tem o seu tempo determinado, e há tempo para todo propósito debaixo do céu…” (Eclesiastes 3:1)

Portanto, não devemos nos preocupar! Sabemos que o “Nosso Ourives” é perfeito, e Ele sabe muito bem tudo aquilo que podemos suportar… A Sua verdadeira intenção é que através do Seu processo de purificação, tudo o que não presta em nós seja, verdadeiramente, destruído pelo Seu fogo consumidor. O momento exato em que isto acontece é quando, semelhantemente ao ourives, que enxerga a sua própria imagem na prata purificada, estivermos refletindo a imagem do Senhor em nossas vidas!!!

“O Senhor deseja receber de nós justas ofertas, e para que isto aconteça, precisamos permitir que Ele purifique as nossas vidas!!!”

Deus te abençoe!

Publicado em Artigos, Colunistas, Pr. Wagner König | Deixe um comentário